null 6 truques para pagar as suas dívidas e poupar ao mesmo tempo

6 truques para pagar as suas dívidas e poupar ao mesmo tempo

Entre a taxa do cartão de crédito, o empréstimo para o carro, a hipoteca ou o aluguer da casa, o pagamento da mensalidade da escola dos seus filhos, etc., é possível que se veja envolvido num mar de dívidas mensais. E, ainda assim, é provável que se tenha perguntado como conseguirá economizar dinheiro quando possui apenas dívidas? A verdade é que é possível economizar e pagar as suas dívidas ao mesmo tempo.

Através de um conhecimento profundo das suas finanças pessoais, das despesas e das receitas, bem como com um plano de ação, acabará por descobrir que é possível chegar ao fim do mês mais desafogado e com algumas poupanças. Desde que siga os planos financeiros que lhe descrevemos a seguir, poderá alcançar a ansiada liberdade e, inclusive, investir as suas poupanças em fundos de investimento.

 

  1. Pare de criar novas dívidas e gastar o seu dinheiro

O primeiro ponto a seguir será, sem dúvida, parar de criar novas dívidas. Terá que estar consciente disso e aprender a viver dentro das suas possibilidades. Esqueça os caprichos passageiros que não lhe dão mais do que uma falsa sensação de felicidade momentânea e lembre-se de que está endividado precisamente por adquirir coisas que não podia pagar no momento. Desta forma, também vai parar de gastar.

 

  1. Verifique qual é o seu verdadeiro rendimento mensal

Em segundo lugar, temos que começar a entender os conceitos básicos de finanças e aplicá-los no nosso bolso. A questão é simples: quanto é o seu rendimento mensal total? Este valor, que geralmente corresponde ao seu salário, será a base de toda a sua análise subsequente.

 

  1. Qual é o seu capital líquido?

Agora que sabemos o seu rendimento, anote as suas despesas mensais fixas. Estas correspondem às despesas necessárias, como o pagamento dos empréstimos, o aluguer ou a renda da casa, a despesa em serviços como água, eletricidade ou telefone, etc. O capital líquido é o resultado da subtração das suas despesas e do seu rendimento - ou seja, é a quantidade de dinheiro que permanece disponível e a partir da qual obteremos uma percentagem para a poupança.

 

  1. Escolha entre economia mensal ou trimestral

Se as suas despesas forem altas, o resultado anterior terá dado negativo ou muito baixo. Nesse caso não terá capital suficiente para poupar periodicamente. Mas isso não significa que não o possa fazer. Defina uma economia trimestral ou semestral, criando um período mais alargado para conseguir o dinheiro que deseja economizar.

 

  1. Como pagar as suas dívidas pendentes?

Pode também escolher entre pagar todas as suas dívidas "de uma só vez" ou organizá-las para que o resultado do seu capital líquido não seja um valor negativo. Qual a dívida pagar primeiro? A resposta a esta pergunta será encontrada nesta outra questão: qual é a dívida que gera mais juros? Será essa a que lhe interessa pagar o mais rápido possível. São precisamente as dívidas menores que o ajudarão a gerar um capital líquido maior e, portanto, uma poupança maior.

 

  1. Conceito: economia de emergência

O valor que economiza mensal, trimestral ou semestralmente não deve ser para pagar caprichos e situações de lazer. Lembre-se que o primeiro passo que fizemos foi esquecer essa ideia. A economia deve estar disponível para os casos de emergência real. Enquanto essa situação não ocorrer, continue com as suas economias pouco a pouco. Finalmente, o mais aconselhável é que, quando economiza muito, possa aplicar esse valor num produto de investimento ou num produto de poupança com alta rentabilidade, para que ele cresça progressivamente.

Escreva um comentário

O seu comentário será analisado pelos nossos editores antes de ser publicado. O seu endereço de e-mail nunca será publicado.

Este campo é obrigatório.