Conselhos para deixar de procrastinar na poupança

Já parou para pensar na quantidade de decisões que adia diariamente? Na hora de fazer exercício físico, na aprendizagem de um novo idioma, e inclusivamente no momento de realizar a sua planificação financeira e poupar mensalmente. A procrastinação e a poupança andam de mãos dadas involuntariamente, pelo que neste artigo encontrará alguns conselhos para deixar de lado as desculpas e pôr em dia as suas finanças pessoais.

Dizem-nos desde crianças e reafirmamo-lo em adultos: “não deixes para amanhã o que podes fazer hoje”. A procrastinação trata disso, do hábito de adiar atividades que devem ser realizadas, substituindo-as por outras situações que tendem a ser mais agradáveis e que satisfazem necessidades imediatas. Quando a procrastinação chega à poupança, a nossa economia e a gestão da vida diária tornam-se ineficazes, uma vez que adiamos a concretização de objetivos, como poupar para a reforma. Em consequência, desse adiamento, os gastos sem controlo apoderam-se das nossas vidas e, portanto, poupar converte-se numa tarefa cada vez mais difícil. Quais são as principais razões e desculpas para procrastinar na poupança?

“Não ganho dinheiro suficiente para poupar”

Pensar que haverá tempo para economizar quando começar a ganhar mais dinheiro é um erro, pois deixa o tempo passar com a incerteza de saber se irá aumentar os seus rendimentos a curto prazo. Não há dúvida de que, quanto maior o seu salário, maior será a capacidade de poupança, mas também a possibilidade de continuar a desperdiçar. Se é consciente disso, faça um planeamento, fixe uma proporção aos seus rendimentos mensais para a sua poupança e concretize-a.

“Tenho outras prioridades e gastos no presente”

Há quem considere que a quantidade de despesas no presente impossibilita a realização de uma poupança mensal. No entanto, refletir sobre os gastos que podemos evitar mensalmente, como os gastos formiga, pode fazer-nos compreender que se trata de dar prioridade ao que realmente importa. Que aconteceria se evitasse comer fora uma vez por semana, se deixasse de fumar, ou se abdicasse da aula de pintura que nem tem o hábito de frequentar? Reflita sobre as suas necessidades e poderá descobrir como alguns dos seus hábitos não são tão necessários e pense no que diria ao seu “eu” do futuro.

Fazer um orçamento invertido para acabar com as desculpas

Para deixar de procrastinar na poupança de maneira definitiva, uma das grandes soluções ao seu alcance passa por realizar um orçamento invertido. Para poder executar um orçamento invertido ou “reverse budgeting”, será necessário estabelecer primeiro no seu orçamento mensal um valor ou percentagem destinado à poupança. Ou seja, deverá dar prioridade à poupança na hora de planear os seus gastos mensais de acordo com os seus rendimentos. Para o tornar possível de uma maneira mais ligeira, a regra 50/20/30 da poupança pode servir-lhe de ajuda para conseguir a disciplina financeira que tanto anseia. Graças a esta técnica terá a certeza de que poderá guardar parte do seu dinheiro todos os meses e verá crescer as suas economias.

Escreva um comentário

O seu comentário será analisado pelos nossos editores antes de ser publicado. O seu endereço de e-mail nunca será publicado.

Este campo é obrigatório.
null Conselhos para poupar no consumo de água

Conselhos para poupar no consumo de água

Quando falamos de recursos valiosos e essenciais para a nossa vida, provavelmente o primeiro de que nos lembramos é a água. Este elemento não é apenas vital e necessário para todos os seres vivos, como também é essencial para a produção de alimentos em todo o mundo, para o desenvolvimento produtivo e industrial e ainda para o funcionamento da sociedade. Aproximadamente 2,5% da água do planeta é água doce, um recurso vital e cada vez mais escasso devido ao uso abusivo que fazemos dele. Tendo em conta a escassez de água doce, a dificuldade de acesso e a carência deste recurso, é imperativo tentar reduzir o consumo de água no nosso dia a dia e, assim, diminuir o impacto ambiental. De seguida alguns conselhos para que o consiga poupar água todos os meses:

Substituir os banhos de imersão por duches

Para conseguir encher uma banheira, são necessários entre 150 a 250 litros de água, por isso, o nosso primeiro conselho é que aposte na substituição de banhos de imersão por duches rápidos. Como indicado pelo Grupo Águas de Portugal (EPAL), cada banho de imersão leva cerca de 200 litros, e um duche prolongado pode levar cerca de 100 litros. É aconselhável usar torneiras de baixo consumo, bem como fechar a torneira quando está a ensaboar-se. Além disso, podemos usar baldes ou alguidares para aproveitar a água que deixamos correr enquanto esperamos que esta tenha a temperatura desejada, e reutilizá-la para tirar o sabão, lavar a louça...

Desligue a torneira quando não precisar de água

Da mesma maneira que devemos desligar a torneira quando nos estamos a ensaboar no banho, também o devemos fazer quando estamos a lavar a louça, as mãos ou a escovar os dentes. Deixar a água correr quando não a estamos a usar origina o desperdício de litros de água, ainda que o façamos inconscientemente.

Use a máquina de lavar louça

Alguns estudos realizados por universidades europeias, indicam que optar por utilizar a máquina de lavar louça, ao invés de lavar à mão, traduz-se numa poupança média de 30 litros por dia. Quando lavamos a louça à mão, aumentamos o desperdício de água inconscientemente, portanto, o uso da máquina de lavar louça irá fazer com que poupemos na conta de água e da eletricidade.

Encha as suas máquinas de lavar roupa

Quando utilizar a máquina de lavar roupa é altamente recomendável que a encha completamente. Desta forma, evitaremos usar a máquina de lavar mais vezes em lavagens com menos roupa e pouparemos uma grande quantidade de água.

À medida que o verão e os meses mais quentes do ano se aproximam, o consumo de água aumenta em residências e espaços públicos, por isso é muito importante seguir estes conselhos.

Irrigação, pela manhã ou à noite

No verão, ao regar grandes superfícies, recomenda-se que o faça no início ou no final da tarde, uma vez que o calor das principais horas do dia fará com que a água evapore e, portanto, aumente o consumo de água. Além disso, o uso de irrigação gota-a-gota permite-nos poupar entre 30 e 60% de água em comparação a outros sistemas, como a aspersão, por exemplo.

Cuide da piscina

Encher uma piscina no verão já é um gasto considerável de água, portanto, é essencial mantê-la cuidada para evitar grandes consumos. No que toca a conselhos, pode optar por tapá-la quando não estiver a ser usada, de modo a evitar que a água evapore ou fique suja, e recorrer a uma limpeza adequada por meio de um clorador salino ou oxigénio ativo para manter a água em perfeitas condições por mais tempo.

Nos meses de verão, quando o orçamento está mais apertado e as despesas aumentam devido às férias, é importante manter o controlo do dinheiro para não gastar mais do que queria e conseguir poupar. Neste blogue pode encontrar um grande número de artigos que o vão ajudar a controlar as suas despesas do dia a dia, como dicas para organizar o frigorifico para poupar e não deitar fora comida ou como podemos educar a nossa mente para não gastar dinheiro.

Escreva um comentário

O seu comentário será analisado pelos nossos editores antes de ser publicado. O seu endereço de e-mail nunca será publicado.

Este campo é obrigatório.