Conselhos para deixar de procrastinar na poupança

Já parou para pensar na quantidade de decisões que adia diariamente? Na hora de fazer exercício físico, na aprendizagem de um novo idioma, e inclusivamente no momento de realizar a sua planificação financeira e poupar mensalmente. A procrastinação e a poupança andam de mãos dadas involuntariamente, pelo que neste artigo encontrará alguns conselhos para deixar de lado as desculpas e pôr em dia as suas finanças pessoais.

Dizem-nos desde crianças e reafirmamo-lo em adultos: “não deixes para amanhã o que podes fazer hoje”. A procrastinação trata disso, do hábito de adiar atividades que devem ser realizadas, substituindo-as por outras situações que tendem a ser mais agradáveis e que satisfazem necessidades imediatas. Quando a procrastinação chega à poupança, a nossa economia e a gestão da vida diária tornam-se ineficazes, uma vez que adiamos a concretização de objetivos, como poupar para a reforma. Em consequência, desse adiamento, os gastos sem controlo apoderam-se das nossas vidas e, portanto, poupar converte-se numa tarefa cada vez mais difícil. Quais são as principais razões e desculpas para procrastinar na poupança?

“Não ganho dinheiro suficiente para poupar”

Pensar que haverá tempo para economizar quando começar a ganhar mais dinheiro é um erro, pois deixa o tempo passar com a incerteza de saber se irá aumentar os seus rendimentos a curto prazo. Não há dúvida de que, quanto maior o seu salário, maior será a capacidade de poupança, mas também a possibilidade de continuar a desperdiçar. Se é consciente disso, faça um planeamento, fixe uma proporção aos seus rendimentos mensais para a sua poupança e concretize-a.

“Tenho outras prioridades e gastos no presente”

Há quem considere que a quantidade de despesas no presente impossibilita a realização de uma poupança mensal. No entanto, refletir sobre os gastos que podemos evitar mensalmente, como os gastos formiga, pode fazer-nos compreender que se trata de dar prioridade ao que realmente importa. Que aconteceria se evitasse comer fora uma vez por semana, se deixasse de fumar, ou se abdicasse da aula de pintura que nem tem o hábito de frequentar? Reflita sobre as suas necessidades e poderá descobrir como alguns dos seus hábitos não são tão necessários e pense no que diria ao seu “eu” do futuro.

Fazer um orçamento invertido para acabar com as desculpas

Para deixar de procrastinar na poupança de maneira definitiva, uma das grandes soluções ao seu alcance passa por realizar um orçamento invertido. Para poder executar um orçamento invertido ou “reverse budgeting”, será necessário estabelecer primeiro no seu orçamento mensal um valor ou percentagem destinado à poupança. Ou seja, deverá dar prioridade à poupança na hora de planear os seus gastos mensais de acordo com os seus rendimentos. Para o tornar possível de uma maneira mais ligeira, a regra 50/20/30 da poupança pode servir-lhe de ajuda para conseguir a disciplina financeira que tanto anseia. Graças a esta técnica terá a certeza de que poderá guardar parte do seu dinheiro todos os meses e verá crescer as suas economias.

Escreva um comentário

O seu comentário será analisado pelos nossos editores antes de ser publicado. O seu endereço de e-mail nunca será publicado.

Este campo é obrigatório.
null Planos para desfrutar do Natal por um bom preço

Planos para desfrutar do Natal por um bom preço

Sonhos e rabanadas, lareira e presentes, brindes e reencontros. Está de volta uma das épocas mais aguardadas do ano, tanto para as crianças que mantêm a doce ilusão à flor da pele, como para os adultos, que recuperam momentos de infância, abraços e conversas intermináveis. Existem inúmeros planos para desfrutar do Natal com os amigos e a família e não é preciso desperdiçar grandes quantidades de dinheiro para se divertir.

Na verdade, não é necessário passar a véspera do Ano Novo em Nova Iorque ou comprar a garrafa de champagne mais cara do mercado para desfrutar ao máximo as férias de Natal. De facto, durante o Natal já se gasta dinheiro suficiente em comida, refeições e em presentes, e existem alguns conselhos para evitar gastar mais do que o necessário. Por isso, apresentamos-lhe uma compilação de alguns planos para que possa desfrutar do Natal a um bom preço.  

Patinagem no gelo

Durante as semanas que antecedem o Natal, as tradicionais pistas de gelo abrem portas e, quer seja sobre gelo natural, ou em pistas de gelo sintéticas, esta é uma atividade bastante económica e que, sem dúvida, os mais pequenos vão adorar. Normalmente, estas pistas podem ser encontradas nas principais feiras e mercados de Natal do nosso país. Algumas das pistas de gelo estão espalhadas pelas várias cidades de Portugal: Lisboa (Wonderland), Oeiras (Capital do Natal), Amadora (UBBO), Cascais (Christmas Village), Óbidos (Vila Natal), Viseu (Palácio do Gelo), Vila Nova de Gaia (Praça de Natal), Santa Maria da Feria (Perim), Bragança (Terra Natal e de Sonhos), entre outras.

Além disso, pode aproveitar as visitas a estas cidades para descobrir a magia do Natal e as luzes natalícias que decoram as principais ruas e estradas. Lisboa, Porto, Lagos, Viseu ou Aveiro são algumas das cidades portuguesas com as iluminações mais bonitas deste Natal. 

Tardes de cinema com a família

Durante as férias de Natal surge a oportunidade de ir ao cinema em qualquer dia e a qualquer sessão, sem ter que depender dos horários de trabalho. Desta forma, é possível desfrutar de uma atividade que, por norma, não é aproveitada devido à falta de tempo. Existem três filmes nas bilheteiras muito esperados para este Natal: no caso de ir ao cinema com as crianças, a escolha mais desejada é a segunda parte de uma das preciosidades da Disney, o Frozen 2; se optar por ir em casal ou com amigos, está disponível a última parte da saga de Star Wars, ou o filme natalício Last Christmas, protagonizado pela famosa atriz de Game of Thrones, Emilia Clarke. Sem dúvida, esta última é uma opção onde a magia e o espírito natalício continuam presentes, mesmo com a escapadinha para o “grande ecrã”.

Se pretende ajustar ainda mais o seu orçamento, pode sempre optar por sessões de cinema em casa e assistir a alguns dos filmes de Natal mais populares da história, como Sozinho em Casa, Simplesmente Amor ou Grinch.

Ideias para desfrutar em casa

Quer seja devido ao grande número de refeições em família ou ao mau tempo, durante o Natal passa-se muito tempo em casa, algo que, por vezes, pode ser entediante devido à falta de ideias sobre o que se fazer. Pode começar a preparar decorações caseiras para a árvore de Natal, para enfeitar a porta ou o interior da casa. Bolas para a árvores, figuras para o presépio, estrelas em origami, velas… para isso, é necessário apenas material para trabalhos materiais, apropriado a qualquer carteira. 

Continuando com as tradicionais ideias que implicam um grande plano, mas menos despesas, durante os encontros familiares pode-se optar por cozinhar com as crianças e preparar sobremesas, doces caseiros, chocolate quente, entradas… sem dúvida que estas ideias vão acabar com o tédio, podendo, assim, dar liberdade à imaginação e também fortificar as relações da família com os mais pequenos, através da partilha de momentos únicos e divertidos. Com o mesmo objetivo, podemos optar por relembrar os momentos e as histórias do passado, através de álbuns de fotos ou até de vídeos convertidos de cassetes VHS. O Natal é altura de juntar entes queridos, mas também de recordações, por isso, não há melhor forma de o fazer, senão dar uma espreitadela nas memórias materiais e transmitir isso aos mais pequenos.

Não se esqueça de consultar a agenda local para ter conhecimento das atividades culturais que se realizam durante o Natal. Por exemplo, se passar as férias na cidade, certamente vai poder desfrutar de eventos e programas a um bom preço.

Escreva um comentário

O seu comentário será analisado pelos nossos editores antes de ser publicado. O seu endereço de e-mail nunca será publicado.

Este campo é obrigatório.